Iniciação à Ciência

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Estas notas são cortesia da Isabella Toscano, que gentilmente me emprestou o caderno para eu copiar as partes que perdi. Fiz só algumas modificações intuitivas.


Neutralidade

Nenhuma notícia é neutra! A notícia deve ser trabalhada para vender mais. A neutralidade no Direito é um pouco difícil de se conseguir.

Com o diagrama dialético, a partir da Tese e da Antítese chegamos a uma Síntese, que tem caráter crítico.

Tese + Antítese = Síntese

Conhecimento não-científico
A base da sociedade é a sobrevivência do indivíduo.


O setor político dita as normas sociais, organiza a sociedade.
O Estado Federal: determina as políticas para o(a):
|--> Educação
|--> Saúde
|--> Transporte
|--> Minas e Energia
|--> Agricultura
|--> Sistema Financeiro Nacional
|--> Forças Armadas
|--> Comunicação
|--> etc.

O Estado é dominado pelo setor político. A essência do político é a conquista do poder, em seguida ficar nele o maior tempo possível. O poder está nas ruas, nas milhões de partículas do poder, os votos. A eleição é que cristalizará, drenar esse poder ao grupo político. A eleição é cara. Como nenhum político toca em seu próprio dinheiro para financiar sua campanha, ele pedirá recursos do setor econômico. Caso o político sagre-se vencedor, os representantes do setor econômico que o ajudaram, sabendo que o primeiro dominará o estado federal, receberão dele fatias (lotes) do Estado. O Estado, por sua vez, tem como finalidade básica atender aos interesses dos políticos. O que sobrar é destinado para o povão.

O Brasil possui todos os recursos necessários para se acabar com o analfabetismo, mas não há interesse do Estado para tal coisa. O Estado não tem como função básica atender às necessidades do povo, mas sim atender às necessidades dos setores político e econômico.
O Banco Central determina as taxas de juros e o câmbio, decidindo questões inerentes à importação, exportação, dívidas externas... basta um erro e todo o  governo é comprometido.

O Atual governo petista pôs Henrique Meirelles, do PSDB, no cargo de presidente do BACEN. Antes, o sr. Meirelles era presidente do Banco de Boston, e até hoje está constando na folha de pagamento da instituição. Seria justamente ele quem deveria sero alvo de qualquer investigação, mas é ele mesmo quem está no comando delas. Num episódio em que a PF estava prestes a capturá-lo, foi-lhe conferido o status de Ministro, dando-lhe imunidade.

O aparato jurídico brasileiro prende mais rapidamente o indivíduo que rouba uma pequena maçã do que o sujeito que desvia 500 000 000 reais (criminoso do colarinho branco). Os políticos são protegidos pelo aparato jurídico.

(ver figura associada: "esquema-estado-federal - 27-2-08.jpg")