Sociologia

Segunda-feira, 17 de março de 2008


Para próxima aula: ler texto 5 sobre cultura.

Conceitos de hoje, que foram pesquisados na aula anterior:

O homem na sociedade

A sociedade no homem
      
Nossa vida transcorre através de vários mundos sociais. Da escola, da família, do trabalho... Cada um desses mundos uma função social. Em cada um deles o indivíduo vai assumir uma diferente identidade. Por exemplo: um juiz pode ser muito rigoroso na aplicação de suas sanções, mas pode, ao mesmo tempo, ser um pai altamente liberal no ambiente familiar. Em geral os comportamentos nos dois mundo sociais são parecidos já que em ambos haverá o denomidador comum da personalidade do indivíduo.
Os adolecentes, num novo exemplo, são imaturos: eles não têm noção do funcionamento da sociedade. Ele contesta a troco de nada, critica, vai contra, se rebela, adere a tribos alternativas, equanto profere palavras de ódio contra o Capitalismo e usa tênis da Nike. A pessoa é considerada sã na sociedade quando ela partilha os conceitos cognitivos da sociedade e o indivíduo passa a aceitar tais conceitos como naturais.


** ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL **

Desigualdade social. Localização hierárquica dos indivíduos na sociedade. De forma geral, o médico está numa atribuição diferente do faxineiro, e, portanto, eles provavelmente pertencem a uma classe social distinta. Formalizando, Estratificação Social é a localização hierárquica dos indivíduos em setores relativamente homogêneos da população, quanto aos interesses, oportunidades e estilo de vida, segundo participação desigual na distribuição das recompensas socialmente valorizadas: poder, prestígio e riqueza.

Tipos de estratificações sociais:
  1. Em castas
  2. Em estamentos
  3. Em classes

1 - Como as castas do hindu: brâmanes, xátrias, vascias, sudras e párias. As castas são tabus religiosos invioláveis e não é possível, de forma alguma, mudar de casta. Ela é atribuida ao indivíduo no momento do nascimento.

2 - Sociedade estamental: comum na idade média ocidental. Ainda havia a aura associada ao berço do indivíduo, os nobres eram nobres apenas porque nasceram nobres, mas a religião já não tem papel tão forte quanto no primeiro caso. Caracterizava-se pela praticamente impossível mudança de posição social, apesar de não ser formalmente proibida. Ainda assim, nas sociedades medievais, a migração de posição é repudiada tanto por aqueles que foram abandonados quanto por aqueles que "acolherão" o migrante.

3 - Sociedade capitalista moderna: estratificação aberta. Todos têm a liberdade de migrar de classe social, desde que com muito esforço. A educação é um dos canais da ascensão. Na prática, entretanto, a mudança de estado se dá muito mais na direção horizontal do que vertical na pirâmide; os indivíduos têm mais chances de se promoverem dentro de seus próprios círculos sociais e profissionais, já que é muito dificil tornar-se classe A sem alguma bênção como herança, loteria ou royal straight flush. A estratificação social em classes é uma ideologia segundo a qual todos podem usufruir das vantagens que a sociedade tem a oferecer, desde que tenham mérito, se esforcem, não importando as circunstâncias do nascimento.

Se a estratificação social é o estigma da desigualdade social, então por que as pessoas aceitam a condição? Muitas vezes por causa das crenças religiosas, como lembra Napoleão: "Religião é o que impede o pobre de matar o rico." Na baixa idade média, no tempo do renascimento comercial e da vida urbana, a burguesia possuía mais dinheiro que a nobreza. No entanto, o nobre tinha mais prestígio e respeito, não porque ele possuía dinheiro ou terras, mas por uma questão inerente às circunstâncias de seu nascimento. Direito "natural".

Classe social é um termo muito usado por Marx, enquanto que Max Weber falava mais em estamentos.

Conceito pesquisado na aula passada:

Estratificação social são divisões que surgem dentro de uma sociedade em relação a diversos fatores. Esses fatores podem ser econômicos, políticos, profissionais, religiosos, e outros. Vamos a um exemplo de cada um:

Estratificação política: diferença entre os indivíduos de uma sociedade em relação à representatividade política. Na prática ela define a diferença entre os indivíduos que têm dos que não têm poder.

Estratificação econômica: divisão social por meio das posses e bens dos indivíduos. O advento dos conceitos das classes sociais é evidência da estratificação econômica.

Estratificação profissional: distinção entre os indivíduos da sociedade com base em suas profissões. Na sociedade brasileira atual, a profissão de advogado e médico é considerada muito mais prestigiosa do que a de zelador.

Estratificação religiosa: inerente à hierarquia da Igreja, mais usada durante os tempos medievais: havia diversas classes eclesiásticas, como a do Papa, Bispo, Padre, no caso do clero secular; já no regular havia os Abades e Monges.



** CONTROLE SOCIAL **

Os controles sociais atuam assim: um gerente de banco que tenha a "mulher errada", o "carro errado" e o "endereço errado" sofrerá pressões, tanto externas quanto internas, para mudar esse quadro. Bem como uma criança ou jovem de classe baixa que venha a adquirir um gosto incomum para suas semelhantes, como música erudita. Como sustentar esse gosto? Será difícil comprar violinos e pianos, portanto a criança sofrerá pressões, especialmente dos pais, para passar a se interessar por outra coisa. Trata-se da socialização ocorrendo desde o começo da vida: as primeiras pressões são dos pais, ainda na etapa da socialziação primária, antes dos 7 anos de idade.

O conceito de controle social é um dos mais usados na Sociologia. Eis abaixo os meios dos quais a sociedade dispõe para enquadrar seus membros: valores, costumes, normas e o próprio Direito, manifestado no primeiro item:

1 - Sistema político-legal: controla, ainda que distantemente, toda a nossa vida. Sanções, penas, multas, e todos os ditames que nos coagem.

2 - Moral: é a segunda forma de controle mais abrangente e é exercida por todos os cidadãos. É considerada subconjunto do sistema político-legal. Aquele que dissente sofrerá alguma sanção social, algum julgamento, discriminação, ou então lhe será atribuído o status de "ex" alguma coisa, como ex-galinha, ex-rico, ex-pobre, ex-homossexual, ex-dependente químico.

3 - Sistema ocupacional: são os controles ligados ao exercício da profissão. Os controles formais vêm das normas da repartição em que o indivíduo trabalha, enquanto os formais vêm dos colegas de trabalho. Está num círculo de menor raio que o da moral.

4 - Grupos primários: é o quarto e menor dos círculos. Trata-se das pessoas com quem temos contato próximo, face-a-face. Não há controle formal aqui. É também a forma de controle social mais importante: manifesta-se permanentemente, de forma sutil ou não. É no relacionamento com os próximos que o indivíduo constrói sua auto-imagem.

O âmbito das ações está sempre circunscrito por essa série de controles sociais e sanções.


Conceito pesquisado na aula passada:

Controle Social é a aplicação do Direito em uma sociedade. Trata-se do conjunto de normas, leis, costumes e sanções que são aplicados e/ou impostos ao indivíduo de uma sociedade visando sua socialização e manter sua conduta de acordo com as normas e padrões de comportamento estabelecidos. 



** INSTITUIÇÃO **

Comportamento padronizado seguido pela sociedade. São sistemas organizados de padrões de conduta, já que as instituições não mudam tão rápida e freqüentemente. Servem para satisfazer as necessidades básicas da sociedade. As instituições a seguir são as principais:


O comportamento não é instinto; ele é modelado pelos agentes externos. A identidade é dada por atos de reconhecimento social. A sociedade influi no nosso ser.

Conceito pesquisado na aula passada:

Padrões de atividade social reproduzidos ao longo do tempo e do espaço. (GIDDENS, A).
Ler PDF: Sociedade e Intituição Social
De acordo com Émile Durkheim, "A instituição social é um mecanismo de proteção da sociedade, é o conjunto de regras e procedimentos padronizados socialmente, reconhecidos, aceitos e sancionados pela sociedade, cuja importância estratégica é manter a organização do grupo e satisfazer as necessidades dos indivíduos que dele participam. As instituições são portanto conservadoras por essência, quer seja família, escola, governo, polícia ou qualquer outra, elas agem fazendo força contra as mudanças, pela manutenção da ordem."



** PAPEL SOCIAL **

Resposta tipificada a uma expectativa tipificada. A sociedade já pré-define a tipologia fundamental. O papel social fornece o padrão segundo o qual cada indivíduo, dentro de suas atribuições, deverá agir na sociedade.

Hoje em dia, em nossa sociedade, ser homem significa desempenhar um papel, assim como ser mulher também. Do ponto de vista sociológico, o EU não é uma identidade sólida pré-formada. O EU é formado pela sociedade, na aquisição de papéis ao longo do tempo. Sofremos pressões internas e externas para que haja coerência no desempenho desses papéis.

Conceito pesquisado na aula passada:

Maneiras e comportamentos esperados e exigidos de determinado indivíduo pela sociedade. Por exemplo: espera-se que o médico salve vidas mas, caso cometa um crime ou falhe seriamente, ele será muito mais criticado do que um profissional pertencente a uma classe social diferente. Já de um pedreiro, espera-se que ele saiba fazer bem seu trabalho braçal, mas que, caso cometa algum crime, poucos vão se revoltar; em geral atribuem-lhe o status de "vítima da sociedade", já que seu nível socioeconômico devia ser pouco elevado, e não se esperava muito dele. Por papel social também se pode entender o comportamento 'adotado' por um indivíduo. Difere-se do status porque este é o comportamento identificado pela sociedade, enquanto que o primeiro é o comportamento que a sociedade espera ver no indivíduo. Também é perceptível o papel social quando os jornais noticiam "um estudante de Direito que se envolveu em uma briga", quando, caso se tratasse de um estudante de outro curso, a manchete seria apenas "Estudante se envolve em briga": espera-se que o futuro jurista seja um defensor da lei, e não a transgrida.