Sociologia

segunda-feira, 31 de março de 2008



Hoje, a professora entregou as provas e fez comentários. Aqueles que não tiraram SS só pecaram em deixar de explicar a teoria e os conceitos de outro genérico e outro significante para explicar um fato, que é a péssima condição das casas de detenção de jovens. Alguns de nós se preocuparam em criticar o Estado e o seu papel no problema, mas não era esse o objetivo. Inclusive havia outros que fizeram questão de criticar o sistema de governo, de produção e o Estado propriamente dito apenas porque se trata de uma aula de Sociologia. Todos os indivíduos são socializados desde o nascimento; a questão sutil é a respeito da ressocialização e adaptação. Ao mesmo tempo, não deveria ser feita a confusão entre outro genérico e outroS genéricoS. O “menor” adquire a identidade de delinqüente, criminoso, que são os papéis valorizados naquele meio, qual seja, a casa de detenção no qual o jovem só tem contato com outros jovens.

Ponto-chave: não existe socialização primária nessas instituições pois nenhuma delas está qualificada para fazer o papel da família. Ao mesmo tempo, essas casas abrigam jovens que já passaram da etapa da socialização primária, que termina por volta dos sete anos de idade, e não existem outros significantes. O conceito de outros significantes está unicamente associado ao de socialização primária.

Finalmente, discutimos em grupo uma folha de questões sobre o texto 7, que trata do “jeitinho brasileiro”.